terça-feira, 27 de julho de 2010

OEA determina que a Polícia Federal proteja os deputados federais Luiz Couto(PT-PB) Fernando Ferro(PT-PE) e parentes de vítima de grupo de extermínio.


Luciana Lima
Repórter da Agência Brasil
>>>>>
Brasília - A Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA) determinou, por meio de uma medida cautelar, que o Estado brasileiro ofereça proteção aos parentes do ex-vereador Manoel Mattos, morto por integrantes de um grupo de extermínio em janeiro de 2009, na Paraíba.
>>>>>
Além dos parentes, a OEA determinou que a Polícia Federal proteja os deputados federais Luiz Couto (PT-PB) e Fernando Ferro (PT-PE), ambos candidatos à reeleição, e a promotora de Justiça Rosemary Souto Maior de Almeida, que também atuou na denúncia de crimes praticados por grupos de extermínio na Paraíba e em Pernambuco.
>>>>>
A decisão da OEA é uma resposta ao pedido de medida cautelar apresentado pelas organizações de defesa dos direitos Humanos Justiça Global e Dignitatis em 9 de julho desse ano. O caso também é citado no Relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre Execuções Sumárias Arbitrárias ou Extrajudiciais, que pediu a federalização do crime.
>>>>>
Manoel Mattos era advogado, defensor de direitos humanos, e denunciou a existência do grupo de extermínio na Paraíba. Ex-vereador, ele foi executado na noite de 24 de janeiro de 2009, com dois tiros de espingarda calibre 12, no município de Pitimbu, Praia de Acaú, litoral sul do estado. O relatório da ONU menciona diretamente o crime e critica a demora do Superior Tribunal de Justiça (STJ) em apreciar o pedido de federalização.
>>>>>>
O advogado morava em Itambé (PE). Na época do crime, parentes de Mattos denunciaram que ele sofria ameaças de morte há meses. O pedido de federalização do assassinato dele engloba também todos os homicídios que teriam sido cometidos por esse grupo na região. O instrumento jurídico que pede a federalização é previsto pela Constituição desde 2004, no entanto, nunca foi usado. O processo sobre o assassinato de Manoel Mattos corre na comarca de Caaporã (PB). O deslocamento da investigação e do julgamento do processo da Justiça Estadual para a Justiça Federal seria uma decisão inédita no Brasil.
>>>>
Leia na íntegra
aqui.
>>>>
Fonte: Agência Brasil

Um comentário:

lucino santana disse...

Olá!

Sou do interior da bahia, fiz esse jingle
pra companheira Dilma, agora tenho que divulgar
pra ver se chega até ela!

por favor escute ai... e me ajude!

foi publicado nesse blog aqui.

http://www.participabr.com.br/noticias/entry/na-boca-do-povo/

Publique ai no seu blog tambem! pra ver se chega na companheira!


obrigado!

(77) 9929 1348 (77) 9129 1651